quinta-feira, abril 22, 2004

*pessoa,

luigi pirandello, teatrólogo e dramaturgo italiano, responde suas perguntas todas numa única e boba frase.

"sou aquele por quem me tomam"

essas seis palavrinhas são o resumo de uma teoria que parece óbvia, mas é na verdade genial. para pirandello, existem vários desdobramentos de uma mesma pessoa, todos eles igualmente válidos. assim, se acham que eu sou uma bicha louca, sou aquele por quem me tomam. se acham que sou um gênio incompreensível, sou aquele por quem me tomam. se acham que sou um canalha, sou aquele por quem me tomam. sou, inclusive, todos aqueles por quem me tomo. com essa premissa, vou tentar interpretar as suas indagações.

1) Que parte de nós é mais feliz: o eu que somos, ou o eu que nos fazemos ser?

creio que ambos se divertem em confundir nossas cabeças. a felicidade é um conceito abstrato e utópico.

2) Qual a nossa melhor parte? Ou melhor: como ser todo e não partes? (Isso me lembra um papo de Gestalt).

em parte, todo todo são partes. jack, o estripador, adoraria essa sua pergunta. ter consciência dos milhões de fragmentos de si mesm@ é um bom caminho para ser plenamente inteir@.

3) Quando amamos alguém, amamos quem nessa pessoa?

se ama mesmo, ama tod@as. até @s mais insuportáveis.

4) Quando somos alguém, somos quem de nós, e, quem podemos ou queremos ser?

essa eu deixo pro pirandello. sou aquele por quem me tomam. todos eles.

* como a preguiça impera, vou postando aqui textos escritos a outrem. esta é uma carta-resposta à minha grande amiga tise pessoa.


quarta-feira, abril 21, 2004

minha cabeça, a uns duzentos e quarenta por hora. as entranhas pedindo arrego, pinico, sossêgo. mas o polegar opositor aponta sob a têmpora o tele-encéfalo altamente desenvolvido. na escuridão da caixa craniana, inebria-se e regorzija-se com alucinações psicotrópicas. o organismo impulsiona-se em direção a uma ladeira gigantesca, sem possibilidades de freio. sinto esfriar a espinha e me deixo cair. contra o vento, os cabelos dançam livres. livre.


segunda-feira, abril 19, 2004

tipo-tipíco-post-tipo-tem-que-tipo-postar

ela:

Comprei outro dicionário jurídico e estou pensando seriamente em fazer vestibular prá Direito.

Ó, céus - eu me tornei um deles! E agora,
øque hacer?

eu:

só hoje [19.04.04] fui ver.

+++

virou não, marinão.
ilusão.

+++

*pê-ésse:
øcomo pode?
°adoro rimas pobres!
øou seriam podres?
nem fode.*