sábado, junho 28, 2003

Camisa-de-ir-pra-parada


clique para aumentar

Logo estarão prontas. Fiz também versão feminina pra minha amiga de infância e a namorada. Royallties dos textos: sgmed e sedotec. Interessados favor fazer contato via e-mail.


sexta-feira, junho 27, 2003



Decidido:BrasÌlia ter· uma sÛ Parada

Ufa!






quinta-feira, junho 26, 2003

Acabou-se a mamata. Agora eu sou um estagiotário em uma revista sobre o tráfico de animais silvestres.



Lindo, gostoso... AcessÌvel, porÈm inatingÌ≠vel. E agora me diz baleia aqui na minha casa pelo headfone. Eu chorando em cima do prato, do teclado. Lindo, inatingÌvel. Ai.


terça-feira, junho 24, 2003

Bom mesmo È n„o ter nada para fazer nem hoje, nem amanh„, nem depois. Nada. O Ûcio pelo Ûcio. Ossos do ofÌcio. Adoro as fÈrias. Agora vou ler um pouco que este computador est· me deixando burro.



Gays j· podem doar sangue, se praticarem abstinÍncia sexual

Se antes essa histÛria me revoltava, dessa vez me deixou com a veia saltando na jugular. Antes era preconceito descarado. N„o quero teu sangue porque tu È bicha mermo, porra. Agora vÍm eles, depois de tantos anos de luta para tirar os homossexuais do chamado 'grupo de risco', dizer que aceitam o sangue se a bicha for celibat·ria por um ano?! O simples fato de haver uma condicional reitera a bosta da situaÁ„o de diferenÁa! Vai tomar no meio do cu cheio de sangue. Pra inÌcio de conversa, que gay (alÈm de mim, È claro) fica um ano sem trepar? ”dio, Ûdio!!


segunda-feira, junho 23, 2003

S·bado, sim, resisti bravamente e n„o me entreguei t„o cedo aos lenÁÛis. SaÌ mais do que costumo do meu estado de raz„o. N„o sei ao certo se isso È positivo ou negativo, sÛ n„o quero de uma outra vez pegar o carro daquele jeito. Eu sei que tinha acabado de te lavar, Plat„o, desculpa, mas n„o sabia que ia pro meio do mato. PaciÍncia... Veja pelo lado bom: Antes, imundo. Agora, sujinho.
E de manh„ eu tinha ido andar de patins. Adoro, devia tornar isso um h·bito. Mas sabe a velha preguiÁa de sempre? E depois uma noite inteira danÁando, minhas coxas j· ficaram meio sentidas hoje. Contudo, dentro do Park 2 n„o parecia me lembrar de nada disso equanto assistia O homem que copiava. Confesso que estava com receio de acabar n„o gostando, com tanta expectativa rolando. Cheguei a me surpreender, muito bom o filme. Conseguiu driblar atÈ o preconceito da minha vÛ, ainda que de forma capenga Nem parece filme brasileiro... E esse menino baiano, L·zaro Ramos, cada vez se consagra mais. Do caralho.
Outdoor de faculdade no caminho de l· pra c·: FAGS. O vestibular deve ter uma prova especÌfica: Moda, Cabelo e Cultura Pop Geral.
C‚mbio e desligo.