sábado, abril 19, 2003

Que graça tem cozinhar só pra um?



Marinão adicionou mais um ótimo blog à minha lista. Pergunta nada a ver: de onde diabos inventaram de chamar bebidas de cocktail (rabo de galo)? Porque o penteado (rabo-de-galo) é até compreensível, mas a bebida? Como, como?!



Gourmet
Pobre do chuchu. Até eu costumava desmerecê-lo (quarto estágio da água, vê se pode?...). Mas a verdade é que o chuchu é uma delícia, se bem feito. Aliás, o que não é uma delícia, desde que seja feito por alguém que saiba fazer? Minha vida ficou muito melhor depois do dia em que eu resolvi permitir que minhas papilas gustativas estivessem abertas a todos os sabores. Hoje em dia eu como quase tudo. Exceto língua. E moela. Ah, essas carnezinhas com textura. Não dá. Fora isso, sou bastante eclético no que diz respeito à gastronomia. Um chuchu de gourmet!



Que vontade de tomar Coca-cola...



Eu já estava me conformando que não ia mesmo ganhar ovo de páscoa. Ééééé... é bom que não engorda. Cho-co-la-teee, chocolateee - berrava meu estômago de formiga que não se preocupa em engordar, desde que tenha sua dose esperada de açúcar. Quase comprei um ovo pra mim mesmo, pra não passar a páscoa em branco. Prefiro ao leite. Fui hoje inocentemente almoçar na casa da vovó, aproveitar pra lavar o Platão, coitado, que já estava imundo de novo. Saí de lá com um ovo Surreal, uma calça jeans e uma bolsa nova. Coisa fofa essa minha vó, viu? E tive também toda uma repentina injeção de testosterona. Além de lavar Platão, encerei, coloquei óleo nas partes desbotadas. Ficou chique, o rapaz. Nem parece o mesmo.


sexta-feira, abril 18, 2003

Santa. Ai, minha Santa, Sexta, Santa Sexta, Sexta-Santa. Santa ressaca de festa de ontem. Festa daqueles lugares comuns. Surpresa boa de encontrar amiga que não esperava. Surpresa ruim de cansar de esperar amiga que não chega. Até que eu fiquei bêbado e fui embora. querochegarlogo, querochegarlogo. E fiquei sabendo que um carinha daqueles que eu alimentava paixão platônica antiga está namorando. E eu tinha esperança de cruzar com ele na festa, quem sabe. Mas nem pra desfilar namorado novo na festa. É daqueles tipos fofinhos que não costumam sair. Ai, meu peito, apertando de novo. Vozinha na cabeça diz pra não ter inveja, deixar o cara ser feliz pra lá. Mas o impossível de repente é tão apaixonante. Talvez por isso eu esteja sempre sozinho, por almejar o inalcançável.


quarta-feira, abril 16, 2003

E comecei a ler um livro ótimo. O Deus das Pequenas Coisas. É de uma autora indiana, Arundhati Roy. E quem está achando que é algum tipo de auto-ajuda espírita engana-se redondamente. Mas comecei ontem. Quando acabar, talvez fale a respeito. Aliás, vou lê-lo agora.



ai, a falta que o teatro me faz... como sem oxigênio. ai.



Um último gole vermelho maravilha do suco de laranja com beterraba. Ressaca amena, apesar da orgia de drinks em comemoração ao início da semana santa. White Russian, Bloody Mary, Paçoca Alcólica, Tequilla shots, e a batida estranha de kiwi com pêssego que eu que tive que tomar porque ninguém mais teve estômago. Porque será que a propaganda do Engov só vem à minha cabeça depois que eu já bebi?


terça-feira, abril 15, 2003

Irônico. Depois de postar aquele post pessimista de sábado. Depois de me despedir das janelinhas todas de icequê e messenger já para tomar um banho e sair. Deitei-me na cama por alguns instantes. Só para refletir. Seilápraquemais. Sei que fechei os olhos. Quando tornei a abrir fui ver as horas antes de entrar no chuveiro. Nãããão... O que diabos havia acontecido com aquele relógio? 4:47. Chequei todos os outros relógios e, salvo por alguns minutos, todos marcavam a mesma hora. Dezpráscincodamanhã. Ou algum impulso eletromagnético causado pelo alinhamento de Júpiter com o meu computador fez com que os relógios da minha casa pulassem cinco horas ou eu dormi minha noite de sábado inteira. Depois de confirmada a segunda hipótese, fiquei possesso de raiva comigo mesmo, acendi um cigarro e liguei a tevê. Só fui desligá-la lá pelas dez da manhã, quando o ódio diminuiu. Já me convenci que, por algum motivo que eu desconheço, não era para eu ter ido à tal festa, mesmo. Mas agora estou bem alegrinho porque é terça e a semana já acabou. Ou a semana-santa começou, tanto faz. Aguardo ansioso a noite de drinks exóticos na casa de Yukito para perder o nível, a compostura, a conduta, enfim, a família toda de vista.