sábado, março 22, 2003

PirenÛpolis? De novo? EngraÁado È que as pessoas n„o se acostumam. Mas È anivers·rio da mama, e n„o se corre disso. Domingo estarei de volta para dar abraÁos apertados cheios de votos por uma velhice melhor para uns e outras.


quinta-feira, março 20, 2003



Ouvi hoje no r·dio algum locutor idiota dizer que os (norte-)americanos s„o nacionalistas fervorosos. Discordo, discordo. Os mongÛis s„o È ufanistas, s„o como as ovelhas do Orwell - quatro pernas bom, duas pernas ruim - bÈÈÈÈrando o que quiserem que eles berrem. Questionar? Pra quÍ? E a gente aqui em baixo fica sabendo de umas aberraÁıes como essa e morre de raiva. Mas taÌ, È essa a condiÁ„o b·sica para ser impÈrio: a ignor‚nicia da massa. E temos de nos lembrar, por mais difÌcil que pareÁa, que Bush n„o È o inimigo. A guerra, sim. O fomento ‡ produÁ„o de armas, sem d˙vida. N„o negando o fato de que ele È, sem d˙vida, um tabarÈu com uma arma poderosÌssima na m„o. Ainda assim, n„o podemos tomar partido contra ele, estarÌamos nos desviando do caminho, que È lutar pela paz. E eu tambÈm j· ia saindo dos trilhos, ludibriado por uma mÌdia medÌocre. A mÌdia do espet·culo, do fant·stico, do imediato, do superficial. AgradeÁo meu grande amigo HÈlio por me indicar este texto, que colocou de volta meus pÈs no ch„o.


quarta-feira, março 19, 2003

Plat„o me deixou na m„o. Ou eu deixei ele. Sei l·. Fato È que hoje de manh„ ele n„o quis ligar. Na volta da faculdade eu panhei dois litros de gasolina e dei pra ele beber. Mas, teimoso, ainda n„o quis pegar. Tive que ligar pra SulAmÈrica. Meia hora depois chega o mec‚nico com cofrinho cabeludo - essa era uma vista que eu dispensava f·cilf·cil... Como uma bicha que se preze, eu n„o sei bulhufas de mec‚nica e fiquei boiando o tempo inteiro, tomando muito cuidado para n„o desviar o olhar do emaranhado de fios e tubos pra o cofrinho nojento. O cara do cofrinho era atÈ gente boa, se vocÍ sÛ o encarasse de frente. Mais dois litros de gasolina e muita chuva depois, empurramos Plat„o para um lugar mais prano, interrompendo o tr·fego. Mas depois de tanto mimo o bichinho pegou e tudo bem. Estacionei ele de rÈ, por via das d˙vidas...


terça-feira, março 18, 2003

"QuitÈria ficou com os olhos cheios d'·gua. Se pudesse exprimir seus pensamentos, diria que aquilo n„o era bem o que pretendiam ao se lanÁarem, anos atr·s, ao trabalho de derrubar o gÍnero humano. Aquelas cenas de terror e sangue n„o eram as que previra naquela noite em que o velho Major, pela primeira vez, os instigara ‡ rebeli„o. Se ela prÛpria pudesse imaginar o futuro, veria uma sociedade de animais livres da fome e do chicote, todos iguais, cada qual trabalhando de acordo com sua capacidade, os mais fortes protegendo os mais fracos."
RevoluÁ„o dos Bichos. George Orwel.

Como, ‡ dist‚ncia, nos parece ridÌculo pegar algo em sua essÍncia t„o belo e desvirtu·-lo. Somos mostros, todos. Animais.



LanÁamento do cedÍ N”S OS MONTROS. Gostei - apesar de n„o conseguir transcender agora a mediocridade que essas seis letras representam. OuÁo enquanto tento rascunhar algo que preste. E, para aqueles que ainda aguentam ir l·, tem coisanova denovo l· no poemoblogue.


segunda-feira, março 17, 2003

N„o sei se me faz bem ou mal, mas ando com os ‚nimos cada vez mais oscilantes. Agora, por exemplo, me sinto bem. Posso ficar ouvindo aquelas baladas-derramadoras-de-l·grimas e tudo bem. Nada mal para um Garfield.



SFFS
Domingo ‡ noite È sempre assim. Garfield na caixinha esperando algo ruim acontecer. O termo tÈcnico È SÌndrome de Fim de Fim de Semana.



saudades de quem ainda nem foi. mas ela vai. e vai levar junto um pedaÁ„o de mim. eu sei que ela vai com pretens„o de voltar, mas ainda assim. vai. e eu torÁo por ela. sei que as suas asas precisam abrir bem grandes. eu te amo, dhenise. voa, minha linda!