sábado, fevereiro 01, 2003

...one can even find it... wuddayacallit? - Esdruxulo, adj. With the accent on the tenth syllable (verse). Singular, whimsical, odd, capricious.



Eu aqui na Vov's me divertindo com:


Os Diccion·rios do Povo
propaganda de instrucÁ„o
para portuguezes e brazileiros

diccionario
PORTUGUEZ - INGLEZ

CollecÁ„o completa de diccionarios port·teis, economi-
cos, completos, indispensaveis em todas as familias,
escolas, bibliothecas, escriptorios commerciaes e re-
partiÁıes publicas. Diccionarios publicados: n.∞ 1 -
Portuguez; n.∞ 2 - Fracez-Portuguez; n.∞ 3 - Portuguez-
Francez
; n.∞ 4 - Inglez-Portuguez; n.∞ 5 - Portuguez-
Inglez
; n.∞ 6 - Latim-Portuguez (lettras A-O); n.∞ 7 -
Idem (lettras P-Z).
PreÁo de cada vol., enc. em percalina, 600 rÈis;
em carneira, 700 rÈis.


N„o consegui dinstinguir se a encadernaÁ„o deste È de percalina ou de carneira. Nem achar a data exata em q foi impresso. Mas pelo tom amarronzado das p·ginas, antes de 1930. Sei de alguÈm q ficava louca se botasse as m„os nele...


sexta-feira, janeiro 31, 2003

Enquanto durarem minhas fÈrias e meu dinheiro e minha paciÍncia, sairei sempre. Trocar minhas manh„s pelas noites, aproveitar agora pra n„o ficar naquela vadiagem q eu tava semestre passado. Week nights, casa. Sair sÛ nos fds. Pq agora eu vou virar um aluno exemplar. E estudar. E ler. E escrever. Parar com essa histÛria de mediocridade q j· t· cansando.


quinta-feira, janeiro 30, 2003

Sabe quando a noite acontece de forma totalmente inesperada? Pois È. N„o q tenha sido ruim, ou algo assim. Pelo contr·rio, celebrei n„o ter mais q acordar cedo com todas as forÁas. Had a good time. Weird mesmo foi encontrar um ex numa snack shop. Pq fica esse clima estranho depois q acaba, hein? Orgulho ferido, provavelmente. Anyway, foi pagar meu cheese chicken burger e meu guaran· ant·rtica e sair. Querominhacama, querominhacama...


quarta-feira, janeiro 29, 2003

Novos devaneios disponÌveis no poemoblogue.



A quantidade de merda È proporcional ‡ quantidade de alimento ingerido. Assim funciona a internet. Indo contra a marÈ de bloguinhos corderosa bunitinhus, Marcelino Freire publica o genial eraOdito, recheado de textos muito bem sacados. Insipirado em seu livro homÙnimo, o blog joga a %$&#* no ventilador sem pudor. Eis um tercho:

AORDEM
¿MERDA


Visite. J·!


terça-feira, janeiro 28, 2003

E, pelo q parece, meu filho mais novo est· comeÁando a andar. Malala ainda est· crua (hum...), mas promete.



N„o falei? Agora È o Yaccs q t· fora do ar. E nem vou me dar o trabalho de colocar link. Humpft!



E o q diabos est· acontecendo com o rÛtimeio? Vai ver os diabinhos escorotos escondidos dentro do computador resolveram me sabotar. De novo.



bixidipÈ
Ele tava l·, enfiado num cantinho do mindinho direito. Moleque de mato, j· sei a receita.
Cata a aguia, esquenta no fogo pra mat· us micrÛbio. Espeta e ranca o bicho com tudo mes.
Fora o buraco no meu dedo, passo bem...


segunda-feira, janeiro 27, 2003

Do outro lado do espelho, meu reflexo
Alice atravÈs do espelho abalou ontem no CCBB as minhas estruturas. O espet·culo faz vc realmente sentir-se no papel de espectador participante. Pq eu e a torcida do Flamengo sabemos q espectador uma pinÛia, todos os q assistem s„o respons·veis tb pelo produto final q È a apresentaÁ„o. Mas o grupo ArmazÈm levou a uma est‚ncia superior esse conceito, fazendo de todos nÛs, alices. Encolhendo, crescendo, nos confundindo, nos divertindo, mergulhando no mundo da fantasia e loucura q È esse texto. Quando saÌ do teatro, fiquei sem ar por alguns instantes. A cabeÁa mais leve, porÈm ao mesmo tempo carregada de diversos assuntos abordados com maestria. O trabalho dos atores impec·vel, bem como os figurinos, o cen·rio, o jogo cÍnico e a utilizaÁ„o do espaÁo. Espet·culo daqueles q vc, sem medo de exagerar, enche a boca e diz: excelente. Agradeci demais a cada um dos atores, bem como ao Bai„o, por ter me convidado pra assitir essa tal peÁa maravilhosa q ele j· tinha visto. E me lembrei q teatro È a coisa q mais me motiva, q mais me arrebata e chacoalha. Q eu tenho q ver teatro sempre, pra lembrar. Pq, quando tenho o privilÈgio de assistir um bom espet·culo, eu saio querendo fazer mais, ser um ator melhor, mais dedicado. De toda sorte, passaram duas horas e eu nem vi. As palmas das m„os ardendo, e a garganta de tanto berrar, mas eu n„o queria parar. N„o poderia. Eu queria mais. Queria beij·-los. E chorei quando os vi chorando. Obrigado, ArmazÈm.