sexta-feira, dezembro 20, 2002

Tenho um mariposa de gesso no carro, presa ao retrovisor, q deveria exalar um perfume de capim-lim„o. N„o exalava. AtÈ encomendei uma essÍncia l· da loja no Rio onde eu comprei o sachÍ. De vez em quando eu abasteÁo, mas logo o cheiro se esvai e mais gotinhas s„o necess·rias. Hoje minha mariposa resolveu q era dia de exalar. Eu dirigindo com o suave perfume capim-lim„o no ar. D· atÈ gosto pegar uns engarrafamentos por aÌ.



Do outro lado do Hall

Esse apartamento vizinho vivia em rotaÁ„o. Nenhum morador durava mais q um ano e olhel·. Mas esse ˙ltimos j· est„o aÌ h· algum tempo. Cl·udio e Cl·udia, um simp·tico casal de negros. Bem, eram sÛ os dois quando chegaram. Mas daÌ ela engravidou. Ficamos pensando q viria quem? A Claudinha, ou pelo menos Ana Claudinha, certo? Nada disso, batizaram a infanta de Laura, a Laurinha. Mais um est· a caminho. Ser· este um Claudinho? Mas a verdade È q n„o somos muito Ìntimos com os Cl·udios. Nunca vamos muito alÈm das conversas b·sicas Pra onde v„o nas fÈrias? Calor, n„o? Como o ano passa r·pido! Portas q se abrem e fecham, entrecruzam-se pessoas na rotina, envolvidos em nosso programinha di·rio. O interessante È q o mesmo n„o ocorre nas portas dos fundos. N„o È difÌcil ir na ·rea buscar uma cueca e olhar bem l· dentro da cozinha dos Cl·udios. … q a Ana (empregada deles) e Maria (Santa Maria, nossa empregada) s„o bastante amigas. Ana passa a maior parte do dia cuidando da Laurinha, q brinca bastante com a Amanda (filha da Maria). Ana, como seus patrıes, tambÈm È negra. Maria, como seus patrıes, tambÈm È branca. EngraÁado como toda uma an·lise cultural me veio hoje, a partir dessa situaÁ„o instaurada aqui. E Os Cl·udios tem um lindo e chique apartamento, e tem carros do ano. E nÛs... bem, n„o estamos mal, mas, economicamente falando, bem abaixo deles. Outro aspecto q botei em pauta em minha an·lise mental foi o de q, apesar de Laurinha ser mais velha q Amanda (alguns meses, as duas tÍm dois anos), Laurinha ainda n„o fala, apenas balbucia algumas coisas. N„o sei se È exatamente algum retardo mental, ou o q. Mas o fato È q Amanda È uma menina q goza de perfeita sa˙de - atÈ sa˙de demais, com alguns momentos daqueles q a gente quer È esganar.
Ainda falta muito para q os negros tenham o respeito merecido, mas o fato È q nos colocamos aqui como iguais. NÛs, e os Cl·udios. Eles atÈ mais confort·veis do q nÛs, penso eu. Isso realmente È algo q j· demostra o avanÁo q vivemos. Bom mesmo ser· o dia em q coisas como essa n„o nos causem mais espanto.





Vamos rir da nossa misÈria. … foda comer pensando q alguÈm est· morrendo de fome no seu paÌs. Realmente, n„o temos a menor idÈia do q isso significa...


quinta-feira, dezembro 19, 2002

Podem ver aqui como seria um reveillÛn na Esplanada dos MinistÈricos. Seria. Pq esse ano n„o foi gasto quase nada com decoraÁ„o. Torraram tudo na ponte. AtÈ os fogos foram queimados antes do tempo. Pior do q isso sÛ mesmo pegar grana da Sa˙de pra construir a tal ponte-monumento (quem precisa de monumento, anyway? Eu sÛ quero passar!). E esse fim de ano sem graÁa foi "justificado" pela posse do Lula. Como se fosse atrapalhar alguma coisa! Malditos terroriztas... Agora n„o tem mais presÈpio vivo, nem apresentaÁ„o do nosso auto de natal. … foda!



Esse Mundo t· cada vez mais Perfeito. Agora, alÈm dos textos de sacaÁıes geniais, tambÈm tem tiras do Henfil e geradores de letras. Muito do q ela diz eu n„o concordo, mas È sempre v·lido ter alguÈm para questionar e criticar.



Um leve impulso e j· estou na janela. Me debruÁo pra enxergar melhor aquela bola amarela q t· l· em cima. Um descuido e... Escapo pra fora, mas n„o caio. ComeÁo a planar. Um movimento de craw e avanÁo uns seis metros. Costas, peito, borboleta. Tiro um rasante de uma parabÛlica e mergulho numa nuvem. Daqui a pouco tenho q sair e comprar umas coisas. Mas por enquanto vou ali roubar uma estrela. O resto depois a gente ajeita.


quarta-feira, dezembro 18, 2002

El Coyote. Festa das Ferrugem. Pra inaugurar minha camisa nova do Guggenheim q vovÛ trouxe. E tb inaugurar o perfume chique q vovÛ trouxe (pro meu irm„o, mas q eu definitivamente vou usar tb). AtÈ.


terça-feira, dezembro 17, 2002

Depois de um longo inverno, ela est· de volta! O conte˙do continua a mesma reflex„o inspiradora de sempre, e o leiaute novo est· bem mais simp·tico. Welcome back, Re!



Nada de postristes. Agora tudo s„o flores. Ainda q eu esteja sÛ, estou muito bem, obrigado. Acho q comeÁo a compreender os planos superiores. Passar por tempos de vacas magras pode tambÈm ser v·lido. Por que quem acha besta n„o compra cavalo? Eu quero cavalo, ou um pÙnei, ao menos. Mais vale um p·ssaro na m„o que dois voando? O negÛcio È a ambiÁ„o, e a pressa È inimiga da perfeiÁ„o. Quem n„o tem c„o caÁa com gato. Vou caÁar, portanto. 'cenÁa...


segunda-feira, dezembro 16, 2002

Ainda mais pq eu tive um fim-de-semana espetacular. Destaques:
[] SaÌ na sexta e no s·bado. Nenhum dos dois foi "Oh, oh! Que maravilha!", mas foram boas noitadas. Dancei atÈ.
[] No s·bado fui assistir meu tio e minha tia-avÛ cantando no Coro SinfÙnico. Muito bonito, realmente. Mas lindo mesmo foi ouvir minha tia se referir ao marido do meu tio como meu outro sobrinho, em conversa com amiga.
[] Minha m„e me acorda domingo de manh„ e diz estar indo pra PirenÛpolis. Acabei resolvendo ir junto e foi a melhor coisa. O dia inteiro numa ch·cara, comendo, bebendo, fumando, cantando, rindo. Fugir È preciso, de tempos em tempos. Volto revigorado e pronto pra luta.




No meu Brasil ideal n„o existiriam babacas homofÛbicos q deixam coment·rios ofensivos. Mas isso È sÛ utopia. No meu paÌs de verdade (esse q eu amo), eu digo FODA-SE! Bem me ensinou um amigo. Desse meu Brasil eu faÁo parte, e vou costruindo como um jogo de Lego, todo em pecinhas de um. Esse paÌs q tem um presidente espetacular, q n„o tem esse pensamento preconceituoso com q temos q nos deparar de quando em vez...