sábado, setembro 21, 2002

Toca: PetShopMundoC„o - Zeca Baleiro. Eu despedi o meu patr„o.



Ensina a teu filho
FREI BETTO

Ensina a teu filho que o Brasil tem jeito e que ele deve crescer feliz por
ser brasileiro. H· neste paÌs juÌzes justos, ainda que esta verdade soe
como cacÛfato. JuÌzes que, como meu pai, nunca empregaram familiares,
embora tivessem filhos advogados, jamais fizeram da funÁ„o um meio de
angariar mordomias e, isentos, deram ganho de causa tambÈm a pobres,
contrariando patrıes gananciosos ou empresas que se viram obrigadas a
aprender que, para certos homens, a honra È inegoci·vel.
Ensina a teu filho que neste paÌs h· polÌticos Ìntegros como AntÙnio
Pinheiro, pai do jornalista Chico Pinheiro, que revelou na mÌdia seu
contracheque de parlamentar e devolveu aos cofres p˙blicos jetons de
procedÍncia duvidosa.

Saiba o teu filho que, no monolito preto do Banco Central, em BrasÌlia,
onde trabalham cerca de 3 mil pessoas, a maioria È honrada e, porque n„o È
cega, indignada ante maracutaias de autoridades que deveriam primar pela
Ètica no cargo que lhes foi confiado.

Ensina a teu filho que n„o ter talento esportivo ou rosto e corpo de
modelo, e sentir-se feio diante dos padrıes vigentes de beleza, n„o È
motivo para ele perder a auto-estima. A felicidade n„o se compra nem È um
trofÈu que se ganha vencendo a concorrÍncia. Tece-se de valores e virtudes
e desenha, em nossa existÍncia, um sentido pelo qual vale a pena viver e
morrer.
Ensina a teu filho que o Brasil possui dimensıes continentais e as mais
fertÈis terras do planeta. N„o se justifica, pois, tanta terra sem gente e
tanta gente sem terra. Assim como a libertaÁ„o dos escravos tardou, mas
chegou, a reforma agr·ria haver· de se implantar. Tomara que regada com
muito pouco sangue.

Saiba o teu filho que os sem-terra que ocupam ·reas ociosas e prÈdios
p˙blicos s„o, hoje, chamados de "bandidos", como outrora a pecha caiu sobre
Gandhi sentado nos trilhos das ferrovias inglesas e Luther King ocupando
escolas vetadas aos negros.
Ensina a teu filho que pioneiros e profetas, de Jesus a Tiradentes, de
Francisco de Assis a Nelson Mandela, s„o invariavelmente tratados, pela
elite de seu tempo, como subversivos, malfeitores, vision·rios.

Ensina a teu filho que o Brasil È uma naÁ„o trabalhadora e criativa.
Milhıes de brasileiros levantam cedo todos os dias, comem aquÈm de suas
necessidades e consomem a maior parcela de sua vida no trabalho, em troca
de um sal·rio que n„o lhes assegura sequer o acesso ‡ casa prÛpria. No
entanto, essa gente È incapaz de furtar um l·pis do escritÛrio, um tijolo
da obra, uma ferramenta da f·brica. Sente-se honrada por n„o descer ao
ralo que nivela bandidos de colarinho branco com os pÈs-de-chinelo. …
gente feita daquela matÈria-prima dos lixeiros de VitÛria que entregaram ‡
polÌcia sacolas recheadas de dinheiro que assaltantes de banco haviam
escondido numa caÁamba.
Ensina teu filho a evitar a via preferencial dessa sociedade neoliberal
que nos tenta incutir que ser consumidor È mais importante que ser
cidad„o, incensa quem esbanja fortuna e realÁa mais a estÈtica que a Ètica.

Saiba o teu filho que o Brasil È a terra de Ìndios que n„o se curvaram ao
jugo portuguÍs e de Zumbi, de Angelim e frei Caneca, de madre Joana
AngÈlica e Anita Garibaldi, dom HÈlder C‚mara e Chico Mendes.
Ensina a teu filho que ele n„o precisa concordar com a desordem
estabelecida e que ser· feliz se se unir ‡queles que lutam por
transformaÁıes sociais que tornem este paÌs livre e justo. Ent„o, ele
transmitir· a teu neto o legado de tua sabedoria.

Ensina teu filho a votar com consciÍncia e jamais ter nojo de polÌtica,
pois quem age assim È governado por quem n„o tem e, se a maioria tiver a
mesma reaÁ„o, ser· o fim da democracia. Que o teu voto e o dele sejam em
prol da justiÁa social e dos direitos dos brasileiros imerecidamente t„o
pobres e excluÌdos, por razıes polÌticas, dos dons da vida.
Ensina a teu filho que a uma pessoa bastam o p„o, o vinho e um grande
amor. Cultiva nele os desejos do espÌrito.

Saiba o teu filho escutar o silÍncio, reverenciar as expressıes de vida e
deixar-se amar por Deus que o habita.



Minha m„e q me mandou isso por imeio. … sempre importante lembrar q h·, sim, esperanÁa. Penso muito assim. Q nem todos s„o corruptos, q h· aqueles q prezam por um paÌs melhor, uma humanidade mais justa. Fui ontem assistir a uma peÁa intitulada A exceÁ„o e a regra. O texto È de Bertold Brecht, e È muito bem escrito. A mensagem È sobre o opressor e o oprimido. Seria natural pensar q o oprimido odeia o opressor? Q ele tem vontade de esgan·-lo, atac·-lo? Talvez. Mas o q Brecht questiona È exatamente isso. N„o devemos nos acostumar a padrıes, regras estabelecidas e estagnadas na consciÍncia coletiva, como se fossem perfeitas, ou pior, naturais. MaldiÁ„o essa imposta pelos ditames do senso comum, da mediocridade do pensameto n„o-crÌtico. Ah, fiquei t„o feliz de ter assistido a um espet·culo t„o bem produzido, ainda mais pq È de uma companhia local, a Piramundo. A montagem mesclava bonecos e atores, alternando os papÈis. Seguia a linha brechtiana muito bem, utilizando-se de elementos como o distanciamento. O cen·rio era bem limpo, embora muito bem resolvido com trÍs planos, e havia bonecos de trÍs tamanhos diferentes, de modo q, num primeiro plano eles estavam maiores, num segundo mÈdiosm, e no terceiro bem pequenininhos, dando noÁıes de dist‚ncia. Defitivamente eu preciso ir mais ao teatro. Como isso me realiza...



Ah... Parece q algumas gotas d'·gua se derrubam do cÈu para solidarizar comigo. Calor infernal me fazia suar.


sexta-feira, setembro 20, 2002

Ontem marcamos de filmar um video para a aula do psycho. Depois do meu ensaio e do trabalho do HÈlio, ou seja, dez e meia da noite. T·, eu l· na casa do Rafael desde dez e quarenta esperando. J· quase meia noite quando HÈlio e Rodrigo resolvem chegar. Mas aÌ comeÁa a enrolar, criar besteiras q n„o s„o necess·rias mas q s„o divertidas. Besteiras divertidas s„o o elemento chave dos nossos vÌdeos de faculdade. Sempre esculhambamos com alguma bobagem dita ou feita em sala, È muito legal. Tipo, tiveram umas meninas q fizeram o trabalho de psicologia usando xuxas grandes e inexpressivas. Sim, boneconas, mesmo. DaÌ fizemos comercias usando bonecos. Exemplo: Uma boneca descabelada desenterrada do arm·rio da irm„ do Rafael fumando um cigarro ao lado de um boneco do Fof„o - È, aquele q tinha um punhal dentro, lembram? - deitado, com as calÁas arriadas. E ainda dizem q fumar causa impotÍncia sexual... H·! Carlton. Um raro prazer. De resto fizemos de tudo para filmar algo q se aproximasse do sÈrio. Mas eu com uma peruca laranja e paletÛ, o HÈlio de Ûculos escuros e o Rafaelvis com uma almofada dentro da camisa n„o È uma coisa q se possa ser considerada sÈria... Enfim, acordar hj n„o foi nada f·cil. Logo, logo, teremos q ter a cara de pau de apresentar esse filme tosco na sala. Mas ficou bom, sÈrio. A gente acaba fazendo algo aproveit·vel no fim. NÛis È bobo mas nÛis È inteligenti.


quinta-feira, setembro 19, 2002

Tem uma lun·tica com tepeeme me batendo aqui. Socorro!!! E o namorado dela pelo messanger mandando ela pegar um pedaÁo de pau e mandar na minha nuca... AlguÈm? SOS!



Est· no ar o prometido layout novo, sÈculos depois. E nem vem q n„o tem, pq n„o est· ainda como eu queria, num sou webdesigner e num consigo fazer ficar perfeito. Pelo menos est· aÌ.



Comida chinesa vegetariana na casa da June para o almoÁo. Bom, muito bom. Mas sou muito carnÌvoro e senti falta da dita cuja. Dois pedaÁos de frango ‡ milanesa no final da tarde resolveram o problema. Mas, voltando ‡ hora do almoÁo, saindo da casa da Ju fui passar o tempo na vÛv's. Dividido entre ter arrumar o volume do som e internet; ter ligar para fulana pra resolver n„o sei o quÍ e internet, comer o pudim de leite q sobrou e internet. Deram umas trÍs e meia. Bom, aula sÛ as quatro, vou enrolar uns cinco minutos e descer pra chegar l· cedo e ver o teacher. Deitei na cama. Pra q! No meio de um sonho ouÁo um toque de orelh„o. Atendo, grogue de sono. AlÙ? Artur? Aqui È a Ana, da BBS. CadÍ vc? Olho no relÛgio: ten past four! Saio correndo feito um doido e consigo chegar na escola dez minutos depois. Me substituindo, a coordenadora. Putz! What time is it? Do u still wanna teach? Um of course e entro na sala tentando impor alguma moral, mas a aula j· toda esculhambada. Pelo menos depois da aula fiquei um temp„o batendo um papo cabeÁa com o teacher, mais ouvindo ele falar mal dos alunos ou das suas atrapalhadas. Hora de ir embora e ele se oferece para me dar uma carona atÈ a casa da minha vÛ - uma quadra acima da escola! - onde eu tinha deixado o carro. Ensaio, depois. Foi bacana atÈ. Apesar de dois atores terem faltado, ficamos discutindo os perfis dos personagens, um trabalho q foi extremamente rico. Visto uma blusa estratÈgicamente deixada no carro e me mando pra uma badalaÁ„o q fizeram l· no BrasÌliaShopping, coisas de aloja.com. AtÈ q foi legal, um sonzinho, pessoas metidas a besta, outras legais. Mari e Gabriel me levaram pra frente do Gates, muvucado. Estava l· atÈ h· pouco conversando e bebendo. Noites de quarta movimentadas s„o muito estranhas, atÌpicas. Foi boa, no entanto. Acabo de matar larica com cuscus e pudim, vou terminar de blogar e dormir. Amanh„ - ou hoje, sei l· - È quinta, tem aula.


quarta-feira, setembro 18, 2002

17/09/2002 - 16h15
Diminui presenÁa gay na TV aberta norte-americana
da Reuters, em Los Angeles

A televis„o norte-americana do hor·rio nobre est· se tornando mais convencional este ano, com menos personagens homossexuais, bissexuais e transexuais aparecendo em sua programaÁ„o de outono do que foram vistos no ano passado, afirmou ontem um grupo de ativistas gays.

O n˙mero de personagens gays, lÈsbicas, bissexuais ou transexuais (GLBT) em papÈis principais, coadjuvantes ou ocasionais na TV aberta caiu de 20, no ano passado, para apenas sete este ano, segundo an·lise da AlianÁa Gay & LÈsbica Contra a DifamaÁ„o (GLAAD, na sigla em inglÍs).

Enquanto isso, o n˙mero total de programas com personagens GLBT caiu de 16, na temporada passada, para apenas seis neste outono: "ER" ("Plant„o MÈdico"), "Will & Grace", "NYPD Blue" ("Nova York contra o Crime"), ``Buffy, a CaÁa-Vampiros", "Dawson's Creek" e o novo drama hospitalar da ABC "MDs".

Boa parte da queda se deve ao fato de 11 programas com personagens gays e lÈsbicas n„o terem sido renovados para este outono, entre eles "Spin City", "Felicity", "Once and Again", "The Ellen Show" e "Dark Angel".

E os dois ˙nicos que traziam um personagem bissexual ou transexual -respectivamente, "That 80's Show" e "Max Bickford" -foram cancelados na temporada passada.

Scott Seomin, da GLAAD, sugere que a presenÁa dos gays no hor·rio nobre da TV pode ter sido prejudicada, tambÈm, por escolhas feitas pelas redes de TV, que teriam optado por oferecer uma programaÁ„o mais "tranquilizadora" ao p˙blico norte-americano, traumatizado pelos acontecimentos do ano passado.

J· a TV a cabo oferece uma concentraÁ„o muito maior de personagens gays num n˙mero menor de programas, com um total de 22 papÈis GLBT contabilizados em seis programas nesta prÛxima temporada: "Oz", "Sex and the City", "Six Feet Under" e "The Wire", na HBO, "The Shield", na FX, e "Queer as Folk", no Showtime.

A visibilidade dos gays na televis„o aberta deve voltar a aumentar no inÌcio de 2003, quando dois programas novos devem estrear na metade da temporada: a sitcom "Charlie Lawrence", da CBS, estrelada por Nathan Lane no papel de um ator gay que se torna deputado, e o seriado da Fox "Oliver Beene", sobre um garoto de 11 anos cujas cenas r·pidas de seu futuro mostram que ele È gay, embora ele prÛprio ainda n„o tenha consciÍncia disso.



Recebo isso agora por imeio... RidÌculo. E ponto.



oi... Gente tudo bem?
(Dani)


terça-feira, setembro 17, 2002

E a Maria agora sÛ faz suco de maracuj·. Esse sono q me faz querer ir pra cama j·. E terminei o trabalho sobre o Jo„o do Rio. Para amanh„.



Ent„o est· marcado, Dona Esmeralda? Cinco horas? Ok, ent„o...
Eu e a Ana resolvemos ir hj. Liguei e marquei um hor·rio. E l· vamos os dois para a famigerada consulta. Chegamos l·, uns dez minutos de atraso. Ah, ela acabou de sair! Mas vcs podems entrar e esperar um pouquinho... Sentamos e ficamos lendo revistas feminas, bem prÛprias de sala de espera - fofocas, sexo, maquiagem, calorias... Meia hora depois e nada da Dona Esmeralda. Levantamos e avisamos a mocinha q Ìamos embora. Humpf! LiÁ„o do dia: hor·rio marcado e nada È a mesma coisa qd o assunto È D.E.. Mas agora È uma quest„o de honra: temos q ir l· um dia para sermos atendidos de verdade! Valeu a pena por reencontrar a lindinha da Ana.


segunda-feira, setembro 16, 2002

Um vidro com um lÌquido preto e objetos n„o-identific·veis foi encontrado na nossa geladeira neste fim de semana. Pelo rÛtulo carcomido descobrimos q era um vidro de ameixas pretas fabricado em 1998. Data de validade: dois anos. Yew!



Duas coisas impediram q o espet·culo de ontem fosse excelente. Uma foi o sono escroto q fez com q eu pescasse em alguns momentos. Outra foram aquleas melecas daquelas cadeiras da Villa Lobos. S„o apertadas e minhas pernas n„o encaixam, fiquei me retorcendo o espet·culo todo. Mas fora esses dois pequenos detalhes, foi Ûtemo. Mesmo. O q eu mais gostei no Santagustin foi um detalhe q a re reparou. Todo o espet·culo È bastante sexual, mas a parte mais rom‚ntica, a mais bonita È a cena dos dois caras danÁando sozinhos no palco. Isso È emocionante. Meu primo tinha me dito q n„o tinha gostado do figurino, mas discordo completamente. Adorei. Cores fortes, sacaÁıes inteligentes - como um saia pela metade - e os Ûrg„os sexuais evidenciados com detalhes. A m˙sica tb È muito bem feita, com idÈias novas e pl·sticamente interessantes.


domingo, setembro 15, 2002



Ontem eu tava morrendo de sono, com preguiÁa de ir pra festinha q a Dani chamou. Mas sabia q iria ficar profundamente deprimido se ficasse o s·bado ‡ noite em casa. DaÌ cheguei em casa umas oito da noite e chapei na cama. Meia noite eu acordo com o toque-orelh„o do meu motorola. Dani. Prometi q me aprontava em vinte minutos e me meti no banho. Entrei no quarto dos meus pais pra roubar uma camisa. Q q vc t· fazendo aÌ, moleque? Nada, pai, vai dormir... Camisa branca, calÁa preta, tÍnis, gravata borboleta - e pq ser· q toda vez q eu uso a minha gravata alguÈm me chama de stripper ou de go-go boy? - gel bozzano - como faz falta! - e descer q as meninas j· tavam esperando l· em baixo. Chego em casa ‡s sete e pouco da manh„. E acordo onze e meia. Isso quer dizer q vamos ter mais uma semana sonolenta. Mas estou feliz pq hj tem Santagustin!




Jo„o do Rio È o meu mais novo muso. E descobri q a minha m„e tinha um de seus livros mais importantes, A alma encantadora das Ruas, o qual j· estou lendo.